Alienação, possessão e tolice

Eu ouço muito sobre alienação, possessão e tolice.  Funciona assim: os pretensos intelectuais não religiosos costumam classificar como tolos e/ou alienadas todas as pessoas que aderem a alguma religião. De modo similar, os pretensos ungidos religiosos costumam atribuir a escolha de não aceitar sua religião a algum tipo de possessão diabólica ou falta de sabedoria.
Todavia, se o fato de uma pessoa escolher ideias religiosas como verdade e regra a torna "alienada", quem escolhe doutrinas filosóficas como regra de conduta não estaria também "alienado" a algo?
Essa de taxar o próximo de alienado, tolo ou possesso pelo simples fato de ele não aceitar as "nossas verdades" como regra é tão preconceituoso e excludente, que me causa repulsa. Pois a verdade é que cada um é livre para, pelo menos, escolher no que crer. E cada um aceita o que lhe faz sentido ou que lhe convém.
E eu não vejo sabedoria no fato de um indivíduo não aceitar a possibilidade de o seu semelhante pensar diferente.

- Flávio Alves

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que me entristece na religião?

Amar

Positividade