O que me entristece na religião?

   Sabe o que me entristece profundamente na religião? Não é ver tanta gente cultivando velhos hábitos nas igrejas, mas perceber que praticamente todos falam de amor e caridade, falam de desprendimento, todavia, além de acumularem as riquezas que pregam não ser bom acumular, conseguem passar pelas ruas, verem mendigos, e simplesmente virarem a face. Isso me faz chorar, sabe.
   Se gasta tanto para pregar, e para provar que as outras igrejas estão erradas, enquanto isso, nos bastidores dessa confusão, pessoas continuam jogadas nas ruas sem esperança, sem um banho, sem um pão... E falam tanto de amor!
   Se ora muito, faz-se campanhas de reavivamento, busca-se poder...  Mas que busca é essa? No que tem resultado todas estas buscas? Precisamos mesmo é agir, mexer no bolso, amar de verdade!
   É complicado falar disso, pois bem sei que cada um julga fazer o que pode.  Mas o que eu vejo é cada um esperando pelos outros; quem sabe pelos políticos, afinal de contas, toda responsabilidade pela pobreza e desordem do país é deles, não é assim que nós encaramos no Brasil?
   Eu não estou dizendo que não devemos construir, não é isso, não é uma pregação da fé franciscana. Mas eu vejo no velho testamento, nas leis sobre dízimos e ofertas, que Deus ordenara ao seu povo para, além de tirarem dízimos e ofertas, separarem também uma parte de suas rendas para os pobres, e eu não tenho visto pregadores defendendo isso. O que eu vejo é muitos templos, belas construções, mas pessoas deixadas para trás, recebendo menos atenção que os animais de rua. E, apesar de não ser nenhum anjo de asas douradas, isso me parte o coração.
   Mas também sei que muitos, ou alguns, fazem alguma coisa. Só estou dizendo que não se faz muito, ou quase nada. Que cristianismo é esse?

- Flávio Alves

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Amar